Justiça penhora bens de Giovanna Ewbank e Gagliasso

Justiça ordena penhora de bens em ação que envolve Giovanna Ewbank e Gagliasso

Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso pedem ajuda da Justiça do Rio de Janeiro para encontrar sua ex-advogada, Isabela Brito Guerra, a quem eles acusam de ter desviado dinheiro. A mulher é procurada desde 2017, quando saiu do país. A dívida passa de R$ 200 mil. 

Em 18 de maio, a apresentadora do Quem Pode, Pod pediu ajuda da Delemig (Delegacia de Imigração da Polícia Federal) para localizar a executada fora do Brasil. Até o momento, ela não foi encontrada. O juiz Luiz Felipe Negrão autorizou o despacho do documento, segundo o Notícias da TV. 

No texto, é ordenado que um oficial de Justiça cobre a dívida, acrescida das despesas processuais e honorários advocatícios. O prazo para que Isabela pague é de três dias, a partir do momento em que ela receber a notificação judicial. Caso não cumpra com a ordem, ocorrerá a penhora de bens. 

++ Taís Araujo e Lázaro Ramos recebem Viola Davis em visita especial: “Que noite”

A mulher também tem o direito de oferecer recursos à execução no prazo de 15 dias úteis. “Os bens não poderão ser alienados caso lá permaneçam por mais de 90 dias. O mesmo vale para a hipótese de arresto de bens e caso Giovanna indique na petição inicial algum bem móvel a penhora”, informa o documento. 

Giovanna fica ciente de que a contratação das despesas necessárias à concretização do depósito do bem corre por sua conta, razão pela qual o mesmo deverá se dirigir à Central de Mandados, efetuar contato com o Oficial de Justiça responsável pela diligência e informar dos meios operacionais que fornecerá para eventual transporte de bens ao Depósito Público. 

Fonte: Jetss

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.