Em encontro com Bolsonaro, Biden defende democracia e Amazônia

LOS ANGELES – O encontro do presidente Jair Bolsonaro com Joe Biden nesta quinta-feira, o primeiro entre os dois líderes, teve a pauta ambiental e a democracia brasileira como temas centrais. Os dois assuntos são caros para os americanos. Biden defendeu as instituições do País e elogiou o Brasil, como país, pela tentativa de proteger a Amazônia, enquanto Bolsonaro manteve sua retórica e afirmou que, por vezes, sente a soberania nacional ameaçada quando o assunto é a Floresta. O brasileiro disse que chegou ao poder pela democracia e sairá, também, pela via democrática e voltou a falar em “voto auditável”.

A imprensa pôde acompanhar a abertura da reunião, momento em que os presidentes normalmente trocam rápidos cumprimentos. Biden falou por cerca de um minuto e meio, em um discurso protocolar. “O Brasil é um lugar maravilhoso. Por sua democracia vibrante e inclusiva e instituições fortes, nossas nações são ligadas por profundos valores compartilhados”, afirmou. O americano também falou sobre a proteção da Amazônia, disse que o Brasil tem feito um bom trabalho para proteger a floresta e que defende que o “resto do mundo ajude a financiar a proteção” da área. “Nós todos nos beneficiamos disso”, afirmou. Também afirmou que já esteve no Brasil três vezes.

Já Bolsonaro discursou por cerca de seis minutos, quando deu justificativas para três assuntos sobre os quais é atacado: seu posicionamento sobre as eleições brasileiras, a proteção ambiental e a relação com a Rússia. Ele não recuou, no entanto, na retórica que tem mantido no Brasil.

Fonte: Estadão