‘Precisamos de leis que funcionem’, diz advogado de vítima de Robinho

O advogado da jovem que acusou o jogador Robinho de estupro falou com exclusividade à Record TV. Ele disse que a vítima não quer ser tratada como heroína por ter denunciado o atleta.

O advogado italiano Jacopo Gnochi conversou com a reportagem da Record TV na cidade italiana de Bérgamo, norte do país.

“Não precisamos de heroínas ou exemplos, precisamos de leis que funcionem”, disse Gnochi. “Esse caso se tornou um exemplo, não porque a vítima se tornou uma heroína, mas porque as pessoas mudaram de mentalidade e entenderam que não precisam ficar em silêncio.”

Não há mais recurso para Robinho, condenado a nove anos de prisão na Itália pelo estupro coletivo de uma jovem albanesa, de 23 anos. O jogador terá o nome incluído em uma lista da Interpol que é enviada para 195 países. Por ser brasileiro, Robinho não pode ser extraditado para a Itália, mas pode ser preso caso entre em algum dos mais de cem países que possuem acordos de extradição com a Itália. O Ministério da Justiça do país disse nesta quinta-feira (20) que vai recorrer à justiça brasileira para que Robinho cumpra a pena no Brasil.

Fonte: R7